É preciso sustentabilidade, dedicação e paixão para transformar os deliciosos grãos de cacau em criações de chocolates que derretem na boca. No caso dos frutos de alta qualidade como o cacau fino, essa experiência pode ser ainda mais incrível!

Deixe que a gente te conta um pouco mais sobre esse produto e o que torna esse cacau tão especial. Falaremos ainda da jornada de transformação das sementes de cacaueiro em matéria-prima que vai servir para a produção dos melhores chocolates do mundo. Vamos lá?

O que é cacau fino?
O cacau fino é um fruto que contém aromas e sabores diferenciados. Eles estão presentes tanto nos grãos frescos quanto na fase de fermentação que você vai conhecer daqui a pouco. A Organização Internacional do Cacau  também utiliza outros critérios para a definir se o produtor cultiva o cacau fino, olhe só!
Parâmetros organolépticos
Oxe, complicou de vez? Calma que a gente explica! Esse critério avalia nada mais nada menos que as características de aroma e sabor dos grãos ou amêndoas do cacau, como preferem dizer os especialistas. É aquele chêro que vai deixar o chocolate mais saboroso e irresistível, sabe?
Origem genética e geográfica
Não é qualquer cacau que pode receber o título de fino. De acordo com a ICCO, apenas as sementes de regiões pré-selecionadas são consideradas finas. É por isso que a produtividade dos grãos finos e de aroma é baixa e corresponde a um percentual que varia apenas entre 6% e 8% de toda a produção mundial de cacau.

Sabe quais são os países produtores dessa delicada delícia? Espie só: Equador, Venezuela, Caribe, São Tomé e Príncipe, Madagascar, Ilha de Java e Papua Nova-Guiné. E o cacau brasileiro não tem esse axé não? Claro que sim! Inclusive, uma das regiões mais importantes nessa produção cheia de sabores e cheiros tropicais é nossa querida Bahia!
Tratamento das amêndoas pós-colheita
Só a boa genética da semente também não garante um cacau fino. É preciso que os grãos passem por um processo para deixar o produto com um dengo especial.
Como é o passo a passo para a produção do cacau fino?
Os produtores aqui da Bahia trabalham em todo o processo, do plantio ao produto final. Tudo começa com a colheita manual do cacau feita ao final da estação chuvosa. Os passos seguintes são a fermentação, a secagem e armazenamento.
Fermentação
A maior riqueza do fruto do cacaueiro está dentro dele: a mistura de polpa e semente, chamada de massa do cacau. Só que ela ainda não pode fazer parte daquela musse de chocolate cremosa que você se lambuza. Antes, essa massa precisa descansar um pouquinho em caixinhas de madeira cobertas com folha de bananeira.

Esse passo é chamado de fermentação, mas relaxe que ninguém coloca fermento na massa de cacau para fazer ela crescer! O processo é só um cafuné para deixar as amêndoas mais doces e cheirosas. Os grãos ficam sossegados em suas camas aquecidas, sem ninguém mexendo neles por até uma semana.
Secagem
Sol não é bom só para deixar nossa pele com aquela corzinha de quem foi à praia. Depois de um descanso seguro e protegido da luz, a massa vai se energizar com o Sol da Bahia. Alguns produtores espalham essa massa em uma espécie de piscina sem água, porque o objetivo é deixar o grão bem seco. Aqui também não tem o sossego de antes, não. De tempos em tempos, esses grãos são remexidos pra lá e pra cá, que nem a gente atrás do trio elétrico no Carnaval. Ao final desse processo:
- você pode sentir nas amêndoas aquele cheirinho gostoso que já lembra o chocolate
- os grãos ficam mais crescidos, grossos e cheios (viu como descanso e Sol fazem bem?);
- o cacau finalmente fica com aquela coloração marrom que a gente conhece.

Armazenamento
Sabe quando você entra numa loja, experimenta a roupa e diz que ela foi feita para você? O cacau também tem um look perfeito para ele. Passado o período da secagem, os grãos vão para um saco especial e que garante o armazenamento por até 6 meses sem comprometer a qualidade da amêndoa. Daqui, ele segue para a exportação ou produção nacional e, até chegar à sua boca, leva mais um tempinho. Fique de olho, porque já, já a gente segue com os próximos capítulos contando como funciona a transformação da matéria-prima em seu chocolate preferido, combinado?

Sabia que o sabor do cacau fino é cheio de Dengo?
Dengo é resultado de um sonho: produzir chocolates que combinam sabor, saúde e sustentabilidade. Sabor porque nosso chocolate é elaborado com o melhor cacau do Brasil. Ele vem da Cabruca, uma forma de cultivo do fruto bem no meio da Mata Atlântica, no sul da Bahia.

As criações da Dengo contêm mais fruta e menos açúcar, o que deixa nossos chocolates ainda mais saborosos e saudáveis. É como um carinho de mainha, que sempre quer o melhor para os filhos. A cada mordida que você dá num Dengo, você sente pedacinho por pedacinho todos os nutrientes, aromas e sabores dessa região brasileira tão especial.

Nossa marca é sustentável porque aqui na Dengo acreditamos que é possível produzir em conjunto com gente como nós, que acredita na geração de riqueza sem deixar de lado a preocupação com impacto social e ambiental. Por esse motivo, promovemos uma rede de pequenos e médios produtores que cultivam de forma consciente o cacau de qualidade.

Esses fornecedores da Dengo são os verdadeiros protagonistas e garantem a qualidade do cacau desde o pé até a produção de nossos chocolates. Todo esse cuidado é feito também pensando em levar aos nossos consumidores todas as delícias que vocês merecem.

Ufa! Você fez uma longa viagem para conhecer um pouco da história do cacau fino e as características que tornam esse produto tão especial. Por aqui falamos tanto sobre o assunto que deu uma vontade danada de comer chocolate, e você? Que tal saborear uma das misturas irresistíveis da Dengo e desfrutar o melhor cacau do Brasil?


English