Criada na realeza europeia, ela é chique, mas sem frescura. É pequena, redonda e de chocolate, mas não é bombom. É uma sobremesa, mas também um quitute, um mimo, uma delicadeza. Descobriu? Oxe, é a trufa da Dengo.
Depois do ovo de Páscoa, das pepitas, das barras e do panetone, do mel de cacau, da cerveja, do café... a Dengo de novo arrebata nossos corações com uma delícia achocolatada: uma trufa irresistível. Ao lado de uma xícara de café, antes da sobremesa, para finalizar um coquetel ou no meio da tarde... você já reparou que toda hora é hora de um dengo com uma trufa?
Como é feita?

Sim, esse docinho cremoso, denso e irresistível é imbatível quando se pensa em chocolate. Preparado com uma mescla de chocolates Dengo de diferentes intensidades com creme de leite, é mergulhado em chocolate 58% e envolto em uma fina camada de cacauem pó que dá um toque de romance, um encanto, um axé, um dengo. 

Você sabia?

Essa fina camada de cacau em pó é que inspirou o chocolateiro criador do quitute a chamá-lo assim. Confeiteiro sofisticado, alguns dizem que era da corte francesa, outros, da realeza austríaca. O formato pequenino e arredondado e essa superfície polvilhada lembravam muito as trufas negras, aquele fungo considerado uma iguaria na gastronomia, que cresce nos bosques de regiões de clima temperado. Como é um cogumelo que fica sob o solo, é colhido cheio de terra e pó, sua forma é arredondada e sua cor, escura. Estava batizado então um dos docinhos mais celebrados da confeitaria de chocolate internacional. 

Como comer?

Você é do tipo mais comportado e comedido, que come a trufa em três mordidas? Um pouco mais ousada, que vai de duas mordidas ou é do tipo gulosa e cheia de picardia que coloca ela inteira na boca e fica lambuzada, mas fica feliz e cheia de axé? 

Todo jeito é jeito de comer a trufa da Dengo. Todo dengo é bem-vindo! 
Español