Bolos, brigadeiro, barras, picolés... as lembranças com chocolate na infância são inúmeras (e deliciosas). Desde pequenos, seja no dia a dia, seja em datas especiais, ele está ali e acolá nos acompanhando. Mas, mesmo sendo um produto tão próximo, será que sabemos diferenciar um bom chocolate de um chocolate comum?
A verdade é que nós, brasileiros, conhecemos pouco sobre o tema. Para nos ajudar nesse mergulho no universo chocólatra, a nossa chocolatière, Luciana Lobo, dá algumas dicas de como descobrir os segredos de um chocolate de qualidade.
A primeira impressão é a visual. O chocolate tem de ser liso e brilhante, sem manchas ou imperfeições. Manchas esbranquiçadas e superfície irregular podem sinalizar má qualidade ou erros no preparo.
Como o vinho e o café, o chocolate pode apresentar dezenas de aromas. Especiarias, frutas, madeiras, pimentas, amêndoas e até pão tostado são alguns dos aromas que podemos perceber cheirando com bastante atenção.
Ao colocarmos um pedaço de um excelente chocolate na boca, ele deve derreter rapidamente e de um jeito uniforme. E também não deve deixar textura de gordura, mas sim de uma pasta macia. Devemos perceber acidez, doçura, sal e amargor. O bom chocolate deixa um sabor agradável na boca por um tempo, qualidade que é chamada pelos degustadores de “persistência”.
Quando quebramos um pedaço do chocolate, ele tem de fazer um estalo potente e seco, que os especialistas chamam de “snap”. Os chocolates de qualidade, com maior quantidade de cacau e preparados com a técnica adequada, fazem um “snap” bem alto.
 
Español