Nossa Páscoa nasce entre cacaus brasileiros...

... e gente querida, no meio da Mata Atlântica, num lugar chamado Cabruca. Com sabores autênticos e uma floresta de propósitos.

E para nos ajudar a contar essa história, conversamos com a Luciana Lobo, nossa querida chocolatière, e descobrimos o que esse momento significa para a Dengo desde a primeira Páscoa lá em 2018 e algumas curiosidades sobre o processo de criação dos sabores com toda a brasilidade que a gente gosta.

Chegue cá e descubra tudo por trás desse momento tão importante para nós.

 

Sinta os sabores do nosso Brasil

Antes de tudo, quando ainda estávamos pensando nossa primeira Páscoa, nos perguntamos o que esse momento significava para nós. Para além dos símbolos tradicionais, do coelhinho e do ovo, entendemos que a Páscoa Dengo é a celebração do ciclo da natureza, da abundância das matas e da renovação da vida. É a Cabruca, os frutos e as sementes. São nossos bichos, nossa floresta. É o nosso Brasil.

 

A partir disso, Lu, como foi o processo de criar e desenvolver os sabores e dengos que chegam até as pessoas?

(Luciana) Para a nossa Páscoa nascer agora, tudo começa 10 meses antes com muita pesquisa e atenção. Ainda em laboratório, estudamos ingredientes e possíveis sabores, fazemos testes para entender passo a passo desde a produção até o transporte dos dengos.

E temos alguns desafios no caminho, por exemplo: como muitas vezes compramos nossas frutas e castanhas de pequenos produtores e comunidades menores, é preciso certificar que eles conseguem fornecer em grande volume. Mas o lado bom de trabalhar direto com quem produz é saber que estão sendo recompensados da forma correta, com pagamento justo e assistência técnica adequada.

 

Os sabores da nossa Páscoa são inspirações que vem de onde?

(Luciana) Não só para essa época do ano, mas todos os nossos produtos buscam pela inovação de texturas e sabores brasileiros. Cada receita é pensada como um convite a experimentação: seja do frescor das frutas ou da crocância das castanhas, seja do sabor do próprio cacau. O bacana mesmo é provar, tanto aquilo que já é reconhecido por nós, como a banana e a castanha-de-caju, como o que é curioso e diferente, como é o caso do tamarindo com baunilha brasileira. O Brasil é a nossa verdadeira inspiração.

 

Curiosas e curiosos para ouvir o restante desse papo? Se ligue só que tem continuação.

> Parte 2

Español