No tabuleiro da baiana não tem somente caruru, vatapá e acarajé, mas tem uma pá de frutas, sementes, temperos, especiarias, sabores e cores, que só os produtos nacionais oferecem e que, inacreditavelmente, muitas vezes, é mais valorizado lá fora do que aqui.

Nossa gastronomia é riquíssima e cheia de magia! Nossas matas produzem ingredientes que nenhum outro país têm. A cultura e as origens de nosso povo dão um toque de cor e sabor sem igual aos nossos produtos, e nossa história remete a uma mistura completa de influências e segredos culinários, quase que ancestrais.

Então, diga uma coisa: o que é que os gringos fazem, que não podemos produzir melhor por aqui? Para mostrar um tiquinho só de como nossos produtos nacionais são de alta qualidade e que deveríamos valorizar mais e mais os produtores locais, preparamos este post com dicas e algumas informações úteis na hora de você escolher o que consumir. Bora conferir?

Produtos que temos e que os gringos precisam exportar
De verdade, temos muitos produtos nacionais pouco valorizados no Brasil e que, muitas vezes, são referência lá fora e nem imaginamos. Essa cultura e visão que muitos de nós carregamos, ao considerar marcas estrangeiras superiores às nossas, soam quase que um absurdo em muitos casos.

Precisa de exemplos? Então, lá vão! Como ousam falar que o chocolate europeu, é melhor que o nosso, se nem cacau esses cabras têm? E as castanhas que são verdadeiras fortunas lá fora, enquanto aqui produzimos a rodo e bem maiores.

Frutas, então, nem se fala! Pode ser na França, Bélgica, Suíça ou em qualquer país europeu, se você preferir qualquer receita gringa com esses ingredientes, é sinal de que ainda precisa conhecer Ilhéus, Caraíva ou Trancoso.

Sinceramente, se lá fora é "chic", aqui é original! Todas essas "referências internacionais", quase sempre, recorrem aos ingredientes que temos de montão no Brasil. É do nosso cacau que sai o chocolate belga, é com o maracujá que os franceses tentam inovar suas sobremesas, é a nossa manga que o sorvete suíço quer imitar, enquanto a gente, repleta disso tudo, se esquece de que tem produtores iguais — se não superiores aos da Europa ou dos Estados Unidos!

Produtos nacionais: bom para a gente e melhor ainda para a economia
Bom, de começo, é claro que a gente tem que reforçar a ideia de que há produtos nacionais de extrema qualidade por aqui, e alguns indiscutivelmente até melhores que os lá de fora. Porém, incentivar esse consumo local não se limita apenas a reconhecer e ter orgulho das marcas brazucas, mas também influencia diretamente vários outros fatores, como a economia e o desenvolvimento da indústria brasileira.

A seguir, destacamos alguns desses pontos essenciais com os quais você contribui — mesmo sem saber muitas vezes — quando consome um produto nacional.

Maior qualidade
Quanto mais os produtos nacionais são valorizados, a tendência é de aumentar a variedade e a diversidade deles. Isso é bom para o consumidor e ajuda, também, no investimento na qualidade e na diferenciação das mercadorias.

Exemplo disso é o próprio chocolate que citamos no tópico anterior, que sempre demos mais atenção aos dos gringos, enquanto temos uma das maiores — e melhores — produções de cacau e do próprio produto final no mundo.

Hoje, cá entre nós, em termos de qualidade, temos chocolates muito superiores ao de muitos europeus aí, sem contar no custo-benefício.
Aquecimento da economia
Valorizar os produtos nacionais é dar uma força especial à economia do país. Afinal, essas produções favorecem produtores locais, utilizam transportes daqui, são vendidos por estabelecimentos brasileiros, e todos os impostos que pagamos nas compras vão para o nosso governo.

Melhor custo-benefício
Os produtos nacionais também saem ganhando no quesito custo-benefício em relação aos lá de fora. Ou seja, é bom pro paladar e melhor ainda para o bolso!

Isso se explica por que, em geral, nosso país conta com praticamente todos os recursos que muitos outros precisam importar. Ainda aproveitando o exemplo do chocolate, nós temos o cacau, as castanhas, as frutas e uma variedade de ingredientes exclusivos de nossas matas, que são verdadeiras fortunas lá fora.

Sem contar, ainda, com a imensa cadeia logística que um produto estrangeiro precisa encarar até chegar na sua casa, o que explica esses valores elevados. Ou seja, às vezes, você está pagando mais pela viagem de avião do chocolate gringo, do que pela qualidade em si. Fala sério!

Benefícios para o Brasil e para o brasileiro
Além dos pontos e das vantagens que destacamos ao consumirmos mais os produtos nacionais, há outros aspectos bem legais e importantes ao defender essa ideia, desde questões ambientais e sociais, até uma pitadinha de orgulho próprio em defender o que é nosso!

Para entender melhor, optar pela compra de um produto nacional ao invés do um estrangeiro é uma ação de muita consciência. Mais uma vez, aproveitando o exemplo do chocolate (já deu para ver o quanto a gente ama isso), só de você comprar um produto daqui, automaticamente você já reduz os impactos dessa logística inimaginável.

Depois, você, muitas vezes, contribui com produtores artesanais, o que é a base da produção nacional, como as famílias de Ilhéus, fortalecendo o reconhecimento dessa gente como profissionais tradicionais do país e ajudando a girar a economia local.

Por fim, fale o que quiser: qual brasileiro não enche o peito ao saber que o nosso é melhor do que os outros? Por isso, consumir os produtos nacionais é sinônimo de valorizar também nossa cultura, nossas frutas, nossas matas, nosso povo e nossas marcas — e que justiça seja feita: dão banho em muitas gringas aí fora!

Enfim, essas são algumas dicas sobre a importância de a gente dar mais valor aos produtos nacionais, não por questões meramente patrióticas, mas porque tem muita marca mandando bem e muito estrangeiro reconhecendo isso, antes mesmo de nós. Então, dependendo do que for consumir: sem essa de europeu ou americanos na nossa mesa. O Brasil tem muito a oferecer, e você, a oportunidade de desvendar os melhores sabores dessa terra mágica.

Curtiu? Defendendo essas mesmas ideias, a gente bate no peito com orgulho em saber que, hoje, o chocolate brasileiro é referência de qualidade máxima no mundo inteiro. 
Español